O que a sua audiência realmente quer? Luciano Somenzari 6 de abril de 2022

O que a sua audiência realmente quer?

Multidão
Autoria Josh Sorenson

Vejas as melhores maneiras de interagir com seu público para efetivamente entendê-lo

Chamar a atenção de um grande número de pessoas, ou mesmo de um grupo menor, mas altamente qualificado, são certamente os principais objetivos de todos aqueles que se aventuram a produzir conteúdo. E isso vale tanto para a mídia digital quanto para a mídia tradicional.

Então, para realizar tais objetivos seria lógico pensar que basta oferecer à audiência aquilo o que ela quer ler, ouvir e ver.  Você e eu sabemos, porém, que a questão parece simples, mas não é. Isso porque “saber o que o público quer” é algo extremamente abstrato e genérico.

Por isso devemos em primeiro lugar pôr em evidência o sujeito da frase, ou seja, o público. Saber quem é o público a quem se destina o conteúdo, ou a mensagem, é o primeiro passo para ter o resultado desejado: que pode ser conquista de leads, de vendas, de engajamento ou simplesmente de números de acesso.

Identificando a audiência

Falando em termos de mídia digital e marketing de conteúdo, identificar a audiência significa dizer que se trata de obter o maior número possível de informações sobre ela. Por uma questão conceitual, e ao mesmo tempo prática, é importante destacar que para saber mais sobre a audiência pressupõe-se evidentemente que ela já esteja construída, ou pelo menos em processo de construção, o que é mais comum. Isso significa que o site, blog, perfil em uma mídia social ou em um canal qualquer na internet tenha um número xis de pessoas que acompanham as postagens.

Pois bem, é sobre esse número de pessoas que é preciso conhecer melhor. Algumas perguntas podem ajudar nisso, exemplos:

  1. Quais são os principais problemas que eles estão tentando resolver?
  2. Do que precisam?
  3. Quais informações que costumam procurar online?

As respostas são obtidas percorrendo vários caminhos, e um dos principais é montar uma estratégia para coleta de dados que funcione de forma interativa. Nada mais eficaz do que interagir com sua audiência por meio de trocas e estímulos, e à medida que retornos sejam positivos (ou mesmo negativos) é possível compor perfis de cada um ou de grupos específicos, conforme a necessidade.

Usar de transparência para com a audiência, contudo, é sempre um bom caminho, e o mais barato. Por outro lado, há inúmeros meios de obter dados dos internautas e analisá-los de modo automático através de ferramentas de Business Intelligence (BI), a grande maioria pagas. Se houver recursos financeiros, tanto melhor. Existe uma gama quase infinita de dados que podem ser classificados e analisados para enriquecer as informações sobre sua audiência

Instrumentos de interação

Mas é possível montar uma estratégia de interação por meios próprios para poder realmente entender o que quer sua audiência, além de, paralelamente, aumentar o número de pessoas nessa interação.

Um dos meios mais comuns é oferecer algum benefício (o envio de um e-book, por exemplo) em troca dos dados pessoais como e-mail, celular, endereço etc. Outras formas são:

  • Assinatura de Newsletter (boletins informativos que mantém o público interessado);
  • Quizzes, enquetes e pesquisas (nada mais lógico e eficiente do que perguntar diretamente, e isso pode se dar de maneira lúdico e educativa, ou mesmo em forma de entretenimento);
  • Compartilhamento de conteúdo (estimular o compartilhamento de determinados conteúdos que geram mais interesse);
  • Canal direto com o internauta (chats ou uma outra ferramenta de perguntas e respostas).

Construindo conteúdo de valor

Uma vez obtidas e organizadas essas informações, é possível criar o conteúdo que seja mais afeito à audiência, qual a abordagem realizar, a linguagem e de que modo.

O processo de interação deve ser constante. É muito importante mensurar os resultados obtidos, permanentemente. Se algum conteúdo é mais visto que outro, se determinados temas são mais acessados, se a linguagem menos ou mais informal causa melhores resultados, enfim, tudo precisa ser analisado para aprimorar a mensagem oferecida à audiência.

E o mais interessante de tudo isso é que nesse processo de interação é possível aprender com o público e este aprender com a gente.