Como transformar sua audiência em fãs Luciano Somenzari 19 de abril de 2022

Como transformar sua audiência em fãs

Cuidar para o envolvimento do público com histórias emocionantes é a chave do sucesso

Fã é aquela pessoa que tem grande admiração por uma figura pública, geralmente um artista famoso. Falar em admiração significa relacioná-la à emoção, à paixão.

Quando falamos de comunicação, relacionamento ou mesmo no marketing existe sempre uma forte dose de emoção. Ou seja, em qualquer processo de decisão, ao contrário do que se pensa, o lado emocional envolvido não é tão somente um ator (ou atriz) coadjuvante da razão.

Transformar a simples audiência em “fãs” (e aqui é claro que estamos usando uma licença poética por questões didáticas) é possível desde que haja cuidado especial com o conteúdo das mensagens e com o relacionamento que se estabelece com o público. Claro que deve haver sempre um equilíbrio, sob risco de carregar nas tintas emocionais e converter a mensagem em sensacionalismo.

Em resumo: conteúdo relevante e transmitido com criatividade, com uso estratégico e equilibrado da emoção. Falaremos mais sobre isso daqui a pouco.

Mas antes é importante responder por que ter fãs ajuda a sua marca. Na verdade, vale muito mais ter uma centena de seguidores que interagem realmente do que milhares que constam apenas em registros de “likes”, mas mal se lembram da sua existência.

No fundo são esses “poucos” que repercutem positivamente os conteúdos, ajudam a trazer mais seguidores e também são aqueles mais propensos a fechar a compra do seu produto ou serviço.

Trate os seguidores como únicos

Fãs gostam de ser tratados como únicos, aliás, qualquer pessoa. Portanto, ser diferente da concorrência é um primeiro passo para ganhar a atenção do seu público, fortalecendo a imagem do seu negócio. Para fazer com que as pessoas que curtiram a sua página (site, blog ou perfil nas redes sociais, por exemplo) se sentam especiais, uma estratégia eficaz é oferecer benefícios e vantagens exclusivas. Isso estimula o público a sempre ficar atento às publicações.

Dê um toque pessoal no conteúdo

Desde criança gostamos de ouvir histórias. Está aí o sucesso popular dos filmes e séries contando dramas, romances, comédias das mais variadas formas. Criar conteúdos com narrativas em primeira pessoa, por exemplo, falando de histórias pessoais e eventualmente surpreendentes ajudam a conectar as pessoas. O envolvimento aumenta consideravelmente. Isso ajuda a fazer associações emocionais com a marca.

Cuide da estética, mas mantenha a familiaridade

Um site ou blog com design bem trabalhado é fundamental, isso não é novidade. O desaconselhável, contudo, é promover alterações constantes no espaço virtual onde a audiência já está acostumada a frequentar. Afinal, todos gostam de familiaridade e isso ajuda a transmitir consistência em crenças, ideias e valores. Quando tiver de fazer mudanças de elementos (cores, fontes de letra, ícones etc.) do ambiente virtual cujo histórico é positivo, é preciso avaliar com cuidado e evitar as chamadas soluções fáceis e rápidas. Uma vez que o usuário aprendeu como navegar no seu site, suas experiências seguintes devem ser regulares.

Aguce a curiosidade

Seres humanos são curiosos por natureza. E a curiosidade fica ainda mais aguçada quando contamos uma história incompleta, pois vão fazer de tudo para saber o final. Usar esse fator surpresa para melhorar todos os aspectos do marketing de conteúdo e dos negócios online, incluindo postagens do blog, sites, geradores de leads, atualizações de mídias sociais, entre outros, é uma tática que costuma gerar bastante efeito. Mas cuidado! Não tente ludibriar seu público, ninguém gosta de ser enganado.

Comunicar a adesão a uma causa, reter e ampliar fãs

Uma tendência que tem mostrado boa capacidade de atrair fãs é a de comunicar a adesão de empresas a causas, sejam elas sociais ou ambientais, de forma criativa. A opinião pública, sobretudo aquela composta por pessoas com poder de compra e acesso fácil à internet, é altamente informada e engajada. São pessoas que procuram empresas e marcas com as quais possam se identificar. Muitas dessas empresas transformam as causas que defendem em peças de comunicação. Assim, além de divulgar as causas, angariam mais público. Aderir a uma causa (e evidentemente esta adesão tem de ser verdadeira, genuína), traçar um plano de ação criativo e divulgá-lo acaba sendo um convite consistente para reter e atrair novos seguidores. Afinal, um fã quer saber de tudo sobre a empresa que admira – não apenas de seus produtos e serviços, mas o que ela de importante para a Sociedade. Trata-se ainda de um poderoso método para fazer com que a audiência compartilhe seu conteúdo, incrementando a imagem de sua marca.