Como criar seu próprio veículo de comunicação Luciano Somenzari 6 de abril de 2022

Como criar seu próprio veículo de comunicação

Seu veículo
autoria Brotin Biswas

Ele pode ser o grande diferencial na construção da imagem e da essência de sua marca

O ambiente digital é um mundo em permanente expansão, conectando pessoas e organizações de maneira instantânea, não importando a distância. Apesar de sabermos das inúmeras formas de comunicação existentes atualmente, é certo que a tecnologia digital ainda deverá trazer muitas inovações. Aliás, é provável que estejamos apenas começando a explorar as possibilidades abertas no mundo digital. Mesmo estando no início desse processo, a variedade existente hoje é enorme.

Muito bem, esse preâmbulo é para nos ajudar a compreender que na esfera da produção e distribuição de conteúdos, assim como na interação permanente entre as pessoas e organizações (públicas e privadas), é preferível criar nossos próprios meios (ou veículos) de comunicação, já que tecnicamente o ambiente é propício a isso. Ainda que haja disponíveis uma infinidade de recursos prontos na internet.

Vamos usar a palavra “veículo” para designar qualquer meio digital a partir do qual se pode enviar e receber conteúdos, sejam eles em formato de texto, vídeo, imagens ou áudio.

O veículo é a alma do negócio (ou da imagem institucional)

Bem, afinal de contas, o que estamos querendo dizer até aqui? Em linhas gerais, o seguinte: a identidade de sua marca e a composição da imagem pessoal ou organizacional diante do público deve passar preferencialmente pela criação de um veículo próprio de comunicação.

Parafraseando Marshall McLuhan, um dos pioneiros na formulação de conceitos sobre a comunicação global, assim como “o meio é a mensagem”, um canal próprio de comunicação tem o poder de traduzir a essência da sua marca para o público.

Se antigamente as empresas e organizações se limitavam a se comunicar com seus colaboradores, por meio de jornais e revistas corporativos impressos (os house organs), hoje elas podem e devem falar diretamente com seus potenciais clientes – e com veículos de comunicação desenvolvidos na medida exata para a sua audiência. E nesse caso, é preciso em primeiro lugar conhecer muito bem com quem se está falando.

Outro ponto muito importante a se considerar é que a criação de um veículo próprio não deve acontecer em detrimento de outros instrumentos de comunicação na internet, e as mídias sociais são um exemplo típico que ajuda, e muito, na composição da estratégia de comunicação. Além, é claro, da publicidade.

Ter um veículo próprio pode significar ainda reunir em uma única plataforma o ambiente business to business (B2B) da marca (se for o caso), para vendas on-line e outros negócios digitais, e o canal de comunicação propriamente dito.

 A palavra de ordem, portanto, é integração. Na verdade, existe um termo específico para isso: omnichannel.

Trata-se de uma estratégia que se baseia no uso simultâneo e interligado de diferentes canais de comunicação, com o objetivo de estreitar a relação entre online e offline, aprimorando a experiência do cliente. Ou ainda, uma combinação do uso do veículo próprio com a de outros a fim de alavancar audiência, leads e, naturalmente, parceiros e clientes.

Um ou mais veículos para chamar de meus

A seguir, enumeramos algumas ideias de veículos que são bastante adequados para criar, com independência e autonomia, conteúdos relevantes para o público.

  1. Site Institucional

A construção de um site e seus “afilhados”, como subsites, fóruns de discussão, chats e outras divisões, envolve uma combinação de design, qualidade de conteúdo e funcionalidades que podem levar muitos ganhos ao público/internauta. Ele pode e deve ser a “cara” da marca no gigantesco mundo digital. Mesmo que os consumidores sigam uma empresa nas redes sociais, por exemplo, o site sempre será o canal de comunicação procurado em caso de dúvidas. Um site integrado a uma loja virtual oferece a oportunidade de vender em tempo integral, 24 horas por dia, sete dias por semana.

  • Blogs

O blog é um dos espaços mais importantes em uma estratégia de Marketing de Conteúdo. Cada vez mais as pessoas passam a se informar antes da aquisição de um serviço ou produto a partir de reviews e resultados de pesquisa na internet. Assim como os sites, há aí uma grande chance de a sua marca prover conteúdos para suprir adequadamente essa demanda. Sua marca se torna referência e pode ser lembrada quando uma nova necessidade surgir. Por meio dele, há mais possibilidades de a marca ser encontrada online. Quanto mais conteúdo de qualidade produzido, mais alta a classificação no principal buscador de informações pela internet, o Google. Assim como no caso dos sites, os blogs podem ser “branded” (identificados com o nome da marca ou de seu produto) ou “unbranded”, quando se dedica a informar sobre um tema de interesse da marca, mas não a traz explicitamente identificada.

  •  Canais de vídeos

O YouTube é considerado o segundo maior mecanismo de pesquisa do mundo. Os usuários procuram vídeos para se entreter, aprender e se informar. Criar vídeos com conteúdos explicativos sobre produtos ou serviços, realizar entrevistas, webinars, mostrar “reportagens” e materiais corporativos ou mesmo de entretenimento são ótimas dicas para ajudar a moldar a imagem de sua marca.

  • Podcast

Um conteúdo em áudio que é disponibilizado através de um arquivo ou streaming tem a vantagem de ser disponibilizado para o público-alvo como um produto premium da marca. Conta ainda com outra vantagem, a de ser escutado sob demanda, quando o usuário desejar. Pode ser ouvido em diversos dispositivos, o que ajudou na sua popularização, e costuma abordar um assunto específico para construir uma audiência fiel.

Como se pode perceber, o céu é o limite, assim como a criatividade para ajustar a mensagem e ganhar a audiência.